Como adaptar um imóvel para deficientes e idosos

Como adaptar um imóvel para deficientes e idosos?

Você sabia que é muito importante adaptar um imóvel para deficientes e idosos? Essa medida possibilita mais qualidade de vida e autonomia para essas pessoas, já que tudo fica facilmente acessível.

Inclusive, um estudo publicado pela Universidade de São Paulo (USP) aponta que a adaptação de ambientes consegue reduzir cerca de 40% dos acidentes domésticos. 

Quando lembramos que o Brasil possui uma população de 32 milhões de pessoas idosas e 17 milhões com algum tipo de deficiência (IBGE), a necessidade de melhorar a acessibilidade dos ambientes é ainda mais determinante.

Além disso, ter uma casa ou apartamento adaptado pode ser decisivo para alugar seu imóvel de forma mais rápida.

Para te ajudar nesse desafio, listamos algumas dicas de como adaptar um imóvel e trazer mais conforto e segurança. Acompanhe a leitura!

9 dicas para adaptar um imóvel para deficientes e idosos com sucesso

1- Entenda como é a rotina da pessoa

A adaptação de um ambiente vai muito além de bem estar e qualidade de vida. Seu foco é proporcionar autonomia em alguma medida para que a pessoa idosa ou portadora de alguma deficiência possa fazer suas tarefas diárias com mais facilidade.

Nesse sentido, o primeiro passo é entender como é a rotina do idoso ou deficiente para ver quais adaptações serão necessárias. Um bom começo é questionar as maiores dificuldades e encontrar alternativas de como saná-las alterando a estrutura ou decoração do local.

2- Providencie barras, rampas e revestimentos

Pessoas com mobilidade reduzida ou visão comprometida possuem muita dificuldade para se locomover, seja em pisos inclinados ou em ambientes com escadas. Logo, será necessário providenciar barras, rampas e pisos antiderrapantes. 

As barras devem ser de aço inox em sua totalidade. Isso é importante para evitar o risco de oxidação, que potencializa acidentes. Além disso, elas devem atender às normas NBR 9050, NBR 10283 e NBR 11003.

No caso das rampas, o ideal é que elas tenham, no máximo, 8% de inclinação. Mas caso não seja possível, já que nem sempre tem espaço suficiente, vale fazer um estudo detalhado para garantir patamares com o espaço que um cadeirante precisa para se locomover com segurança.

3- Opte pelos portas e corredores largos

Outra mudança muito importante quando o assunto é adaptar imóvel para deficientes e idosos é a largura de portas e corredores. Os corredores precisam ser largos – com 1,20m no mínimo – para que esses grupos consigam se locomover pela casa sem se chocar com as paredes.

As portas também devem ser largas, sendo ideal ficarem entre 0,90m e 1,00m para facilitar a locomoção e viabilizar o conforto no ambiente doméstico. Na dúvida, a dica é deixar a circulação o mais livre possível, com portas e corredores largos, sem tapetes e quaisquer outros obstáculos que aumentem o risco de uma queda. 

4- Coloque maçanetas e puxadores especiais em portas e janelas

Muitas pessoas não possuem braços ou mãos com atividade plena, daí a importância de investir em janelas e portas com puxadores ou maçanetas especiais. 

Maçanetas do tipo alavanca, por exemplo, são ótimas para casas que possuam idosos ou pessoas com deficiência, já que são fáceis de utilizar.

Para deficientes físicos, o recomendável é utilizar uma proteção metálica ou reforçada na parte inferior das portas. Essa medida eleva a vida útil da cadeira de rodas em potenciais colisões.

5- Prefira móveis de canto arredondados

Outra adaptação que pode ajudar a evitar ferimentos no ambiente doméstico é a preferência por móveis de canto arredondados. 

Assim, caso a pessoa bata o corpo no móvel, ela não se machuca com a mesma gravidade caso tivesse batido em um móvel quadrado e cheio de quinas.

Também vale apostar em móveis de porta de correr, que além de ocuparem menos espaço oferecem mais praticidade. Tratando-se de dormitórios, priorize closets, guarda-roupas e acessórios com fácil acesso e manipulação para que idosos e deficientes consigam pegar o que desejam sem a necessidade de chamar outras pessoas.

6- Tenha tomadas e interruptores na altura adequada

Tirar algum dispositivo da tomada ou desligar a luz de um cômodo deve ser algo fácil de ser feito. Nesse sentido, é fundamental adaptar tomadas e interruptores na altura adequada da pessoa. 

Uma boa alternativa é realizar um projeto personalizado, no qual controles, botões, teclas e similares possam ser ativados por pressão ou alavanca. 

7- Equipe o banheiro com piso antiderrapante e barras de apoio 

Em um cenário onde 70% dos acidentes com idosos acontecem dentro de suas próprias casas, é necessário adaptar o banheiro, cômodo comum pelos altos riscos de queda.

Entre algumas medidas que podem ser tomadas está a colocação de piso antiderrapante e barras de apoio. Todavia, é importante atentar-se à qualidade das barras, já que elas precisam apresentar as seguintes características:

  • Composição de aço inox para não oxidar;
  • Suportes e parafusos de fixação sextavados e em inox;
  • Ter dimensões e resistência apropriadas (conforme normas NBR 9050, NBR 10283 e NBR 11003);
  • Empunhadura correta para não prender o braço da pessoa e causar fraturas.

A instalação de barras adaptadas e piso antiderrapante vão trazer muito mais conforto e segurança para grupos com mobilidade reduzida ou deficiência visual.

8- Reforce a iluminação e utilize materiais de cores contrastantes

Os imóveis devem ter uma iluminação uniforme, sem a presença de manchas ou sombras. Além disso, cômodos mais utilizados como cozinha, banheiro e dormitórios precisam de iluminação reforçada, de preferência de luz branca.

Uma boa dica é utilizar móveis e materiais de cores contrastantes para facilitar na visão dos caminhos e alertar alguém com deficiência visual sobre degraus ou qualquer alteração no piso ou nas paredes. 

Leia também: Instagram para imobiliária: como usar a rede social de forma estratégica?

9- Garanta facilidade e segurança na cozinha

Muitas pessoas têm dúvidas de como adaptar a cozinha para deficientes e idosos. O ideal é colocar prateleiras e armários no alcance da pessoa que irá utilizar para que ela não precise se abaixar ou subir em outros móveis para pegar os utensílios.

As pias, por exemplo, devem ter altura de no mínimo 73cm e de, no máximo, 85 cm. Vale colocar a bancada no centro da cozinha para facilitar o acesso às bocas do fogão ou cooktop. A dica é investir em fogões, fornos e cooktops elétricos, uma vez que a ausência de fogo na cocção torna tudo mais seguro.

Em suma, adaptar um imóvel para deficientes e idosos é fundamental para proteger esses grupos de acidentes domésticos e viabilizar uma vida mais tranquila, prática e confortável. E nem precisa dizer que trabalhar com imóveis com estas características potencializa as chances de fechar negócios, certo?

Se você deseja descobrir como alugar ou vender mais imóveis, confira também nosso post sobre mapeamento de jornada de compra no ramo imobiliário e alavanque seus resultados. 

Cadastre-se
para receber
conteúdo
exclusivo

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.